Paul McCartney Carreira Solo (12)

Bom, ainda nos anos 80 (é claro, acabamos de entrar nos anos 80!), o segundo disco, pra mim, é muito melhor que o primeiro… na verdade levando em consideração esta década é o meu segundo disco favorito… vamos a ele!

Tug of War (1982)

51Tb6Th60EL._SS500_

Um Pouco de História: Tug of War foi o primeiro álbum de Paul a ser lançado depois do assassinato de John Lennon, que morreu durante a gravação do disco. É considerado por muitos como um dos melhores trabalhos solos de Paul McCartney.
Paul McCartney chamou o produtor da época dos Beatles, George Martin para trabalhar com ele no álbum. Convidou os músicos Stevie Wonder, Stanley Clarke, Carl Perkins, Eric Stewart e o ex-beatle Ringo Starr para participar de algumas músicas.
Em março de 1982, a música em dueto com Stevie Wonder, “Ebony and Ivory” atingiu o primeiro lugar das paradas de sucesso em vários países do mundo e tornou-se o grande hit do álbum. Um mês depois seria a vez do álbum subir nas paradas de sucesso. “Take it away” também atingiu sucesso porém mais modesto.

Minha Opinião/faixas: Eu concordo que este disco está entre os melhores trabalhos de Paul como compositor. Bom, ele trouxe de volta do George Martin para produzir o disco… precisa dizer mais alguma coisa? O cara é um gênio!

Daqui pra frente, vamos perceber uma veia mais pop no trabalho dele, que permanece durante boa parte da década de 80. O assassinado do John foi muito sentido por Paul, ele costuma dizer em entrevistas até hoje, que Lennon foi o melhor parceiro que ele já teve, e que ele (Paul) é extremamente mal-acostumado, porque seu primeiro parceiro foi o melhor de todos, o que o tornou muito exigente.

O disco como um todo tem músicas bem pra cima, com baladinhas dançantes e legais, tem um certo tom triste em duas canções, uma delas escrita em homenagem ao John, acho que é bem claro o motivo deste certo tom de tristeza…

1. Tug of War – Uma música com um tema pacifista, provavelmente inspirada na obra do John Lennon… tem uma melodia bem triste, lindíssima e emocionante.
2. Take It Away – Essa faixa conta com a participação do Ringo na bateria, é uma baladinha bem dançante, daquelas que a gente fica lembrando depois que acaba.
3. Somebody Who Cares – A melodia não é tão triste, mas a letra me faz lembrar do John também, musica muito bonita.
4. What’s That You’re Doing? (Paul McCartney/Stevie Wonder) – Composta e cantada em dueto com Stevie Wonder, com uma batida meio eletrônica e bem dançante. O vocal do Stevie Wonder é bem característico. Se alguém me perguntasse eu diria que tem mais a cara do Stevie Wonder do que do Paul.
5. Here Today – Música escrita em homenagem ao John Lennon. Eu sou suspeita, essa música está entre as minhas preferidas da carreira solo do Paul, eu acho ela linda. Mas não posso negar que tem uma letra triste e uma melodia, é, eu diria que melancólica. Eu recomendo que escutem essa música… pra mim é uma obra prima.
6. Ballroom Dancing – Pelo título já dá pra imaginar que é uma música dançante… eu gosto muito do ritmo dessa música, bom, ela está presente na trilha sonora da minha vida (mais pra frente eu vou falar sobre esse disco mais pra frente), então eu adoro a música.
7. The Pound Is Sinking – A música mais rock’n roll do disco, eu gosto bastante dessa música, tem algo de bem original e interessante.
8. Wanderlust – Ai, que difícil escrever sobre essa música… na minha opinião, é a música mais bonita da carreira solo do Paul, a letra é maravilhosa! A melodia também é linda… ah, eu amo essa música apaixonadamente, não tenho muito mais o que dizer 😉 ah, tem o piano… sempre o piano.
9. Get It – em dueto com Carl Perkins, com um baixo bem marcado, o que eu mais gosto nessa música é o contraste entre o vocal do Paul, que aqui está bem suave e a voz mais grave e forte do Perkins… sensacional!
10. Be What You See (Link) – A música é bem curtinha, não chega a 1 min. Aparece quase como uma música só vocalizada, com efeitos na voz… mostra bem os dotes de cantor do Macca.
11. Dress Me Up As A Robber – Meio discoteca, o legal da música é o vocal, em falsete… coisas do Paul, mudando sempre a voz (e muda durante a música).
12. Ebony and Ivory – Alguém não conhece essa música? Bom, então não era nascido em 82. Essa música tocou muuuuuiiiiiittttooo nas rádios aqui do Brasil, a ponto de enjoar. Apesar da execução excessiva, a música é muito bonita. Mais uma em parceria com Stevie Wonder, essa com mais cara de Paul que a primeira, a letra é simples, diz o que tem que dizer, a melodia… é o forte da música! Adoro o Stevie Wonder fazendo segunda voz em alguns trechos… e sempre cito uma parte da música “there’s good and bad in everyone” o mundo não é um conto de fadas, não é mesmo?

Destaque: Bom, não poderia ser outra… emocionem-se! (essa versão é tirada do filme “Give my Regards to Broad Street” e conta com o Ringo na bateria)